Revista Mais - Outubro de 2016
A ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA
A iluminação faz parte do momento criativo de um projeto. Seu efeito pode transformá-lo, gerando sentimentos, oferecendo conforto e aconchego. Além de ser aspecto funcional, é um recurso poderosíssimo na arquitetura.

As edificações e suas áreas externas, como jardins, acessos e outros, são extremamente valorizadas pela iluminação. O resultado proporcionado pelo contraste de luz e sombra pode ser acentuado em locais que precisam de destaque para sua identificação ou orientação espacial. A dúvida em determinar a quantidade e o tipo de iluminação é frequente.

Para sua definição, é importante avaliar, no caso de espaços internos, sua utilização, sua dimensão, as cores do piso e das paredes, se será direta ou indireta, os modelos das luminárias que serão usados e a proposta do projeto de interiores.

Na área externa, deve ser definida com base na volumetria da edificação nos pontos a serem evidenciados e direcionados. As arandelas, os postinhos, os refletores e os balizadores são peças que poderão ser empregadas para compor o cenário externo. O importante é utilizá-las de acordo com cada finalidade.

Há diversas lâmpadas no mercado que, se usadas juntamente com as peças apropriadas, criam um efeito cênico nas áreas internas e externas. É fundamental avaliar o tipo de luz que emitem, sua reprodução nas cores, sua potência, seu consumo e sua durabilidade. Toda lâmpada tem seus prós e contras, e cada uma atenderá a uma demanda. Veja as principais:
HALÓGENA - algumas possuem ângulo no facho de luz e se destacam pelo brilho, possibilitando uma iluminação mais direcionada. Existem vários tipos: Dicróica, PAR, AR e outras.

FLUORESCENTE - uma nova geração com modelos de lâmpadas compactas de alta qualidade e modelos que oferecem maior luminosidade.

LED - tecnologia avançada, menor consumo, maior durabilidade, usadas na decoração para diversos efeitos. Muitas novidades estão por vir no que diz respeito à iluminação geral.

As peças de iluminação também seguem tendências, em destaque abaixo:

Os pendentes estão roubando a cena, sendo usados como arranjos que deixam o ambiente flutuando, desde os clássicos até os contemporâneos.

As luminárias fazem a diferença na decoração, com peças grandes confeccionadas em diversos materiais.

As arandelas garantem versatilidade aos ambientes internos.

Os abajures usados em praticamente todos os ambientes da casa e em espaços corporativos, além de iluminar, são lindas peças de decoração.

Os lustres, tanto quanto os pendentes, atuam como protagonistas na decoração de ambientes em diversos segmentos. Atualmente, não se restringem ao cristal, podendo ser confeccionados com materiais rústicos, vidros e tecidos, garantindo seu ar de imponência.

Em geral, a execução das peças tem quebrado paradigmas em relação aos materiais, com destaque para o aço e a madeira.

São vários os recursos que nos permitem inovar na concepção de um projeto luminotécnico. A assessoria de um profissional da área garante a definição correta das peças, bem como a estética, o conforto, a funcionalidade e a eficiência energética.
Sandra Oliveira Arquitetura e Urbanismo
Rua Professor Osvaldo Franco 90 sala 610
Centro Betim MG CEP 32 510 050
(31) 3511.0538
arquitetura@sandraoliveira.com.br